Shinjin

postado por Lotus / no comentários

Shinjin: conhecer e ver

 

A experiência fundamental do budismo Shin é denominada de shinjin, com freqüência traduzida por “fé”. Mas como fé tem muitas conotações no ocidente, e ainda mais num país católico como o Brasil, é importante  distinguir seus diferentes usos.

No budismo de modo geral, a fé é algo que usualmente passar a existir no início do caminho religioso, indicando confiança plena no Buda, nos ensinamentos e na sanga ou comunidade. No Budismo Mahayana, a fé é o primeiro estágio da busca religiosa, ao qual se seguem os três estágios: a compreensão, prática e realização.

Alguns termos em sânscrito servem de base para a palavra shin no Budismo. Um deles é prasada, que nos sutras da Terra Pura é usado para denotar confiança no Buda Amida. Shin pode ser ainda “pureza”, “alegria” e “claridade”. Foi traduzido para o chinês como shojo ou chojo (pureza), joshin (confiança pura), shingyo (confiança alegre), e shinjin. Em japonês, shin-jiru.

Podemos recorrer a uma imagem conhecida. Imagine que no meio das montanhas existe um lago. A água deste lago é perfeitamente pura e limpa. A superfície do lago, além do mais, é tão calma e tranqüila que é como se fosse um espelho. O estado da água nesse lago é o que podemos entender como prasada.

Na versão em sânscrito do Sutra Maior da Vida Imensurável, a palavra prasada-citta aparece na passagem do Voto para expressar confiança no Buda Amida. Citta significa “coração e mente”.  O coração e mente de alguém tornam-se puros e atingem a felicidade. Prasadacitta significaria então que a mente de alguém torna-se pura e clara, e atinge a felicidade. É importante notar, porém, que, no Budismo, citta também se refere à consciência humana fundamental. Aponta para o nível mais básico e mais profundo da subjetividade individual do ser humano, tornando a ideia de coração-mente algo muito particular, profundo e denso em cada um de nós.

Na tradução chinesa do Sutra Maior, o Voto Original ensina os seres viventes a “confiar com alegria” (shingyo) no Buda Amida. Shingyo é a tradução de prasada. Uma vez que prasada significa que o coração e mente se purificam e atingem a felicidade, o termo foi traduzido como “confiar com alegria”.

Uma passagem posterior no Sutra Maior esclarece o significado do Voto Original usando outra frase, “atingir shinjin e felicidade” shinjin kangi. Esta é outra expressão para “confiar com alegria” shingyo. Shinjin é equivalente a shin (confiar) e kangi é o mesmo que gyo (alegria).

Vemos que confiar no Buda Amida refere-se a um estado mental, prasada-citta, no qual o coração e mente de alguém tornam-se puros e serenos, dando lugar à grande alegria.

Na sua análise final, o significado intrínseco do shin no ensinamento budista é “ver a verdade”. Shinjin é idêntido à verdade interior, ou literalmente, “conhecendo e vendo”.

(Versão do texto “The Idea of Shin in Buddhism” de Takamaro Shigaraki)