Templo: patrimônio de Brasília!

postado por Cris / 2 comentários

( reportagem publicada no site http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/12/templo-budista-de-brasilia-na-asa-sul-e-tombado-como-patrimonio.html)

O Templo Budista de Brasília recebeu nesta segunda-feira (22) o status de “patrimônio tombado do Distrito Federal”. O decreto publicado no Diário Oficial do DF protege todo o espaço, incluindo a edificação original,”o Sino Bonshô e seu Campanário, o Pórtico de Entrada do Templo e os dois Pórticos localizados em suas laterais”.

“Patrimônio histórico não é só para olhar o passado, mas para ver o passado do templo como um marco para o futuro. Patrimônio não é só o acúmulo de bens, mas o acúmulo cultural. Acho que esse tempo representa bem o espírito dos pioneiros. Do Juscelino, do Niemeyer, do Lúcio Costa e dos japoneses que receberam esse terreno no Plano Piloto”, afirma o monge Sato, responsável pela gestão do espaço.

Detalhe do Templo Budista de Brasília, na Asa Sul (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Detalhe do Gohonzon, Altar Central, com a imagem do Buda Amida (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Para Sato, o ato de preservação do templo representa um “coroamento” e uma “confirmação” de responsabilidade”. A expectativa de um número cada vez maior de visitantes é vista pelo budista com uma mistura de alegria e preocupação.

“Até um tempo atrás, o templo era fechado à comunidade. Só abria em ocasiões especiais como a quermesse, que reúne até 50 mil pessoas em agosto. Mas, como o budismo é universal, estamos nos abrindo e esperando que a comunidade de Brasília entenda como um bem que também pertence a eles”, declara Sato.

Em 2013, o templo completou 40 anos. Desde o ano passado, os praticantes do budismo no DF organizaram um abaixo-assinado virtual para pleitear o tombamento da área e evitar o interesse de investidores. Segundo o site do templo, o manifesto tinha recebido apoio de 1.107 pessoas até esta segunda (22).

Detalhe do Templo Budista de Brasília, na Asa Sul (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)
Sino Bonshô do Templo Budista de Brasília, na Asa Sul (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Programação
A quermesse citada pelo monge Sato acontece sempre nos finais de semana de agosto, e é chamada carinhosamente de “Festa do Buda”. Segundo os organizadores, a celebração é baseada na tradicional festa budista Urabon e homenageia os antepassados com danças e comidas típicas.

No dia a dia, o Templo Budista tem atividades como ioga, aikido, karatê e tai-chi-chuan. Os cursos de budismo são ministrados às terças e quintas, às 7h. No sábado e no domingo, às 9h, os frequentadores podem participar de ofícios de meditação.

Na próxima semana, a comunidade budista poderá presenciar outra cerimônia tradicional: as 108 badaladas do Ano Novo, a partir das 22h do dia 31 de dezembro. Segundo Sato, os toques do sino significam a renovação das esperanças, “levando em conta o passado, o presente e o futuro, a consciência de si próprio e as circunstâncias do aqui e agora”.