41ª Quermesse Budista de Brasilia

postado por Cris / 3 comentários

O tema da Quermesse nesse ano é: Arigatô, Brasília!
“Ari” significa ser, estar, encontrar. “Gatô” ou “gatai” quer dizer difícil.  Portanto, “arigatô” = difícil de ser, estar, encontrar.  Ser grato por estar aqui, este eu entre milhões de impossibilidades.  Ser grato por estar com você entre milhões de possibilidades. 

O primeiro dia da quermesse é 2/08!

Dias: 2 e 3; 9 e 10; 16 e 17; 23 e 24; 30 e 31/08
Horário: 17 às 21:30h

Começa no próximo dia 2 de agosto a 41ª edição da quermesse do Templo Budista de Brasília. A festa, que originariamente é uma homenagem aos antepassados, prosseguirá por todos os sábados e domingos de agosto.

O tema desta edição é “Arigatô, Comunidade”, uma confraternização entre as origens japonesas do templo e a comunidade brasiliense, que frequenta e participa das diversas atividades desenvolvidas no local e decidiu patrocinar uma campanha para que o templo seja transformado em Patrimônio Cultural de Brasília.

Além das tradicionais atrações culturais e gastronômicas, a edição de 2014 da quermesse vai oferecer uma série de oficinas ao público, como furoshiki (técnica japonesa de amarração com tecido), artesanato, origami, mangá, ikebana, entre outras. O Templo estará aberto à visitações, com guias da própria comunidade, que apresentam a história e os ornamentos do Templo, o Budismo e as práticas do Budismo da Terra Pura.

A quermesse do Templo Budista vai oferecer uma intensa programação cultural, com a apresentação de grupos de danças, artes e músicas típicas do Japão. Estão previstas apresentações de taikô (tambor, em japonês), yosakoi soran e Matsuri Dance, duas danças japonesas e o sempre esperado momento do bon odori, que é a essência da festa. No palco principal, instalado no centro do terreno, também vão se apresentar as artes marciais do Templo e os mestres de Tai Chi Chuan Woo ( pai e filho ), da Praça da Harmonia Universal.

A grande novidade nesse ano é uma exposição fotográfica sobre a História do Templo de Brasília: passado, presente e futuro, com o registro de fotos históricas desde a fundação e inaguração do Templo, com ampla participação das famílias japonesas, até os dias de hoje, em que a comunidade brasileira vem cada vez mais abraçando o Budismo como religião e cultura. A exposição acontecerá no salão do Templo.

O horário de realização da festa será das 17h às 21:30h e a entrada será a doação de um quilo de alimento não perecível (menos sal). O total arrecadado será distribuído a instituições sócias do Distrito Federal. Em 2013, quando essa campanha também ocorreu, dez instituições receberam aproximadamente 15 toneladas de alimentos arrecadadas pelo templo.

Outro ponto forte da quermesse é a culinária japonesa, pratos como yakissoba, camarões empanados, gyoza, tempurá, sushi, temaki, banana caramelada, udon, yakitori e rolinho primavera. As opções de bebidas serão suco, refrigerante e água.

Paralelamente, diversas barraquinhas com produtos japoneses, como doces, roupas e artigos decorativos. Também estará presente a lojinha do Templo com livros e produtos budistas.

SERVIÇO:

Quermesse Budista

Área externa do Templo Budista de Brasília (EQS 315/316). Todos os sábados e domingos de agosto, das 17h às 21:30h. Entrada mediante um quilo de alimento não perecível. LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS.

Dias: 2 e 3; 9 e 10; 16 e 17; 23 e 24; 30 e 31/08
Horário: 17 às 21:30h

Informações à Imprensa

Rodrigo Bittar 8422-8611

 

Origem da festa

 

 

A tradicional quermesse, o Urabon ou Festival Obon, é uma festa budista tradicional que tem origem no Sutra Ulambana. Trata-se de uma celebração dos antepassados, em que lembramos e homenageamos todos os que se foram. É uma época de alegria, e não de tristeza e nostalgia, em que apreciamos o que eles fizeram por nós e reconhecemos a continuação de suas sementes nutrindo a nossa vida. A dança do Odori é o símbolo dessa alegria e encontro com nossos antepassados.

A origem da festa está na própria recomendação do Buda Sakyamuni a um dos seus mais elevados discípulos, Mokuren, que dotado de uma extrema sensibilidade sensorial, estava preocupado por ter visualizado a sua mãe falecida presa a um dos seis mundos do sofrimento, o mundo dos fantasmas famintos.

Quando procurado, o Buda disse-lhe: “Em amor a você, sua mãe fez até mal a outros seres para lhe deixar uma fortuna. Mas não fique mais preocupado. Use toda sua herança e ofereça uma festa magnífica para a comunidade. A alegria do povo libertará sua mãe”. Assim nasceu essa tradição do Urabon. Consta que Mokuren ficou tão alegre que bateu as palmas das mãos e dançou alegremente. Diz-se que essa é a origem da dança do Bon Odori.

O Templo Budista se mantém fiel à essência do Bon Odori. As doações feitas pela comunidade são retribuídas com alegria, na grande celebração popular e multicultural, que, a cada ano, vem contando com a presença e o carinho de toda a comunidade de Brasília.

odoribatchan