Os jovens, o Papa e a esperança

postado por Cris / 2 comentários

O Papa Francisco esteve no Hospital São Francisco de Assis, Centro de Recuperação para Dependentes de Drogas.

Não importa se ele veio cumprir um protocolo eclesial, se está se encontrando com pessoas poderosas na esfera politica e econômica do Brasil, celebridades. A visita aos dependentes químicos demonstra firme postura de abraçar, acolher e atender os que sofrem, fragilizados e necessitados, especialmente os jovens.  Como budista, aplaudo esta atitude.

Também fiquei admirado pelo seu ato de apontar os agentes diretos do sofrimento, chamando os traficantes de mercadores da morte.  Corajoso, coerente e autêntico como os jovens podem ser!

Mas por que esses mercadores agem?  Porque os jovens não têm como praticar a sua coragem cívica, não conseguem integrar o amor-próprio com o amor ao próximo de forma coerente e a sua autenticidade é continuamente questionada por valores do mercado que exigem apenas sucesso individual, material e aparente conduzido pelo consumismo. Apesar do espetacular avanço tecnológico das últimas décadas, vivemos o presente vazio e o futuro obscuro!

Na sua lógica sábia e sensibilidade compassiva, o Papa sabe que não há coisa mais vazia e alienante que a adoração ao Bezerro de Ouro.  Os religiosos e até ateus podem estar juntos na pregação do encanto surpreendente e sublime do viver humano em paz em uma sociedade alegre, solidária e fraterna, não de mercadores em um sistema de mercadorias.

Independe da idade, somos jovens na medida em que mantemos essa busca prática com energia.  Esperança não é só futuro virtuoso, é poder presente!